Invicto, com quatro vitórias e três empates em sete jogos no novo clube, o brasileiro acumulou três vitórias em três partidas no período,

colocando o time recém-promovido da segunda divisão na quarta colocação nacional – atrás apenas das três potências da Arábia Saudita: Al Nasr, Al-Hilal e Al Ahli.

“Fiquei surpreso, porque é um início de trabalho”, afirmou Fábio Carille, em entrevista exclusiva ao comentarista Flavio Prado, da Rádio Jovem Pan. “Mais de 20 jogadores chegaram ao clube comigo. Não temos uma base, ainda. Fiquei surpreso, mas o trabalho está sendo bem legal. Está tendo um entendimento muito legal com os jogadores e a diretoria. Isso me dá força para continuar firme e dentro daquilo que eu penso”, acrescentou.

A filosofia de jogo consolidada no Corinthians, de prezar a solidez defensiva e trabalhar com eficiência no ataque, já está sendo bem digerida pelos atletas sauditas – o Al-Wehda tem a segunda melhor defesa do campeonato, com cinco gols sofridos em sete jogos, e o sexto melhor ataque, com 12 balanços de redes.

“Os conceitos já estão bem claros na cabeça de todos. Agora, estamos trabalhando para que eles possam executar da melhor maneira possível. Isso demanda tempo”, explicou Carille, que, no novo clube, trabalha com o venezuelano Otero, ex-Atlético-MG, e com cinco brasileiros: Renato Chaves, Anselmo, Marcos Guilherme, Régis e Fernandão.