As investigações da polícia sobre a morte do jogador Daniel, ex-São Paulo, estão sob sigilo até que tudo se encerre. Mas enquanto a apuração oficial

não é revelada, começam a surgir informações importantes sobre o assassinato brutal cometido no sábado (27). A Jovem Pan conversou com um amigo de infância do meia e descobriu com exclusividade que, antes de morrer com sinais de tortura, Daniel passou por duas festas em Curitiba.

O jogador pertencia ao São Paulo, mas foi emprestado ao São Bento e não estava sendo aproveitado nos últimos jogos. Como não foi sequer relacionado para a partida contra o CRB, pela Série B, viajou para aproveitar a folga na capital paranaense na sexta-feira (26). Por ter jogado pelo Coritiba no ano passado, ele mantinha amizades com moradores locais. Então foi convidado para o aniversário de um amigo na casa noturna Shed Western Bar.

A festa não acabou ali. Na madrugada, Daniel foi para uma “after party”, celebração menor que costuma acontecer em casas ou apartamentos. E o mistério surgiu porque aparentemente ele se separou das pessoas que o acompanhavam até o momento.

Dudu Arantes, amigo de infância de Daniel e jogador de futsal do time São José dos Pinhais/Gamma, gravou um áudio que circulou na internet e relatou alguns acontecimentos da noite. Em contato por telefone, ele não deu mais detalhes sobre o ocorrido, mas confirmou à reportagem a autenticidade da gravação e todas informações.