A Polícia Federal deflagrou, nesta quarta-feira (31),  a Operação Tritão contra fraudes em licitações da Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp), empresa estatal que é a autoridade portuária do Porto de Santos. São cumpridos sete mandados de prisão temporária e 21 mandados de busca e apreensão nas cidades de São Paulo, Santos, Guarujá, São Caetano do Sul, Barueri, Rio de Janeiro, Fortaleza e Brasília, expedidos pela 5ª Vara da Justiça Federal de Santos.

Entre os presos está o presidente da Codesp, José Alex Oliva. A estatal é ligada ao Ministério dos Transportes.

Além do mandado contra o presidente, estão sendo cumpridos mais seis de presão e 20 de busca e apreensão em São Paulo, Santos, Barueri, Guarujá, Rio de Janeiro, Fortaleza e Brasília.

A ação envolve a Controladoria Geral da União, o Tribunal de Contas da União, a Receita Federal e o Ministério Público Federal.

Atuam na operação 100 policiais federais, 8 auditores da CGU e 12 servidores da Receita Federal. O nome da operação remete a Tritão, na mitologia grega, conhecido como o rei dos mares.