A equipe do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) avaliou que as fusões previstas até o momento podem diminuir o número de ministérios de 29 para 15. Uma das novidades é a criação de uma “superpasta” de Economia, que englobará Fazenda, Planejamento e Indústria e Comércio Exterior, a ser comandada por Paulo Guedes.

O deputado federal Onyx Lorenzoni (DEM-RS) deve chefiar também a união da Casa Civil com a Secretaria de Governo. Em outras medidas controversas, devem ser juntados os ministérios da Agriculta e do Meio Ambiente e também as pastas de Cultura, Educação e Esporte. Os nomes estão sendo definidos pela equipe.

Nesta quarta (31), Bolsonaro anunciou ainda que o astronauta Marcos Pontes chefiará o Ministério da Ciência e Tecnologia, responsável pelo Ensino Superior. A pasta de Justiça, por sua vez, voltará a abrigar a Segurança Pública, como no início do governo de Michel Temer (MDB), e pode ser oferecida ao juiz federal Sérgio Moro.