As gêmeas siamesas Maria Ysadora e Maria Ysabelle, 2 anos, separadas por meio de cirurgia  no Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto, interior de São Paulo, passam bem e a recuperação rápida surpreendeu a equipe médica, segundo o neurocirurgião Hélio Rubens Machado, que liderou o procedimento: “Já interagem com a familia e até brincam em jogos no celular”.

Como estavam unidas pelo topo da cabeça, ele explica que não tiveram ainda oportunidade de se relacionar após a cirurgia. "Elas tecnicamente não se conhecem. Talvez só pelo espelho ou por escutar a voz uma da outra, mas a interação, o toque, a presença, ainda vão levar algum tempo", afirma.